top of page
  • Foto do escritorEliseu Matioli

Qual o real problema do SAAEI?

Márcio Gomes fala sobre problemas enfrentados pela autarquia


Entrevista com Márcio Gomes, atual superintendente do SAAEI, aos 6 dias de janeiro de 2023

O Sistema Autônomo de Água e Esgoto de Itápolis (SAAEI) foi fundado em 08 de dezembro de 1973 pelo então prefeito Carlos Antonio Dultra (47º prefeito), tendo assim completado em 2022, 49 anos de existência.


A autarquia já existiu em momentos da história da cidade onde houveram 16 alterações no poder executivo, cassações de prefeitos, de chapas e muitos outros acontecimentos.


Diversos chefes do executivo nomearam muitos nomes para a antiga diretoria do SAAEI. Desde setembro de 2006, através da lei ordinária nº 2.325 de 06/09/2006, os chefes da autarquia passaram a denominar-se superintendentes.


Nesses 49 anos do órgão, de forma precisa, 11 pessoas ocuparam o cargo de chefia.


Segundo registros do próprio SAAEI, não há dados de quem atuou como diretor ou superintendente no decorrer de um total de mais de 13 anos.


De forma mais específica, esses são os nomeados para a chefia do órgão:



Todas essas informações podem ser observadas através dos protocolos 028-2023 (Prefeitura Municipal) e 018-2023 (SAAEI).


Analisando as informações concedidas pelos responsáveis, pode-se chegar a um balanço de tempo no poder de cada chefe da autarquia.



O Grupo ItaCast teve a oportunidade de entrevistar, na passada segunda-feira (06/02), o atual superintendente do Sistema Autônomo de Água e Esgoto de Itápolis, o senhor Márcio Roberto Pereira Gomes, o mesmo que tem o maior tempo à frente da autarquia desde sua fundação.


Sabendo que Márcio está coordenando todas as ações do órgão desde setembro de 2005, 2 anos apenas após a concretização do termo de ajustamento de conduta (TAC) que existe entre o Ministério Público e a Prefeitura Municipal de Itápolis para a construção e ativação dos sistemas de tratamento de esgoto de seus distritos, o ItaCast foi em busca de respostas quanto ao descumprimento de 20 anos do TAC.


A justificativa da atual administração, dita ao Grupo ItaCast em entrevista em janeiro deste ano é que há falta de dinheiro nos cofres da autarquia.


Quando questionado sobre como a população pode verificar, através de uma transparência, se há de fato a falta de reservas nos cofres do SAAEI, Márcio afirmou que a autarquia tem um sistema de transparência.


Acessando o portal da transparência da autarquia, podemos ter acesso a demonstração de fluxo de caixa dos anos de 2019, 2020 e 2021.


O valor final localizado em caixa ao final de 2021, segundo os balanços do SAAEI, é de R$1.032.837,46.



Até a presente data, não há registros no site quanto aos dados financeiros e contábeis de 2022, tendo em vista que o fechamento deve acontecer no decorrer dos primeiros meses do ano seguinte, já que os fechamentos anuais devem se dar apenas com a conclusão do ano a ser realizado o balanço.


O senhor Márcio Gomes corrobora as falas do prefeito Mi Reggiani quanto a falta de verba do SAAEI para poder realizar todas as obras necessárias nos distritos e as ampliações que se fazem essenciais nos sistemas de tratamento de esgoto do próprio município.


Segundo ele, quando aconteceu sua primeira nomeação em 2005, havia um volume grandioso de contas atrasadas de água de munícipes, tendo assim a possibilidade de levantar fundos com essas contas a receber realizando as devidas cobranças e cortes, se preciso.


O superintendente afirma que hoje isso já não é mais possível. Não há uma grande quantidade de contas a receber atualmente, dependendo dessa forma praticamente apenas dos reajustes de tarifa que devem ser aprovados pela Câmara Municipal.


Todos esses assuntos, respostas e muito mais você pode conferir na íntegra:




Comments


bottom of page